Os perigos da religiosidade na Igreja (Isaías 1. 11-19)

Muito se tem falado sobre religiosidade, infelizmente apenas se fala, pouco se prega e pouquíssimo se tenta mudar essa religiosidade.


Ninguém entre o povo de Deus está isento da religiosidade, essa prática tem arguido dentro da Igreja, tentando levar os verdadeiros adoradores a ser apenas religiosos, o que implica em um grande perigo.

No dicionário Aulete Digital, a pessoa religiosa é um religioso, e o religioso é o seguidor de uma religião. Vejamos bem o significado de tal religiosidade, o religioso crê e segue uma religião, ou seja, algo criado por homens. Nós que nos chamamos cristãos temos por obrigação ser igual a Cristo, isso implica que somos seguidores da Palavra de Deus, independente de nossa denominação, antes somos cristãos.

Há cristãos que são católicos romanos? Certamente que há. Martinho Lutero não era de outra religião, mas era católico romano. Já que foi excomungado, expulso da denominação, ficou literalmente sem religião, mas nunca ficou sem Jesus, ou mesmo sem ser cristão, pelo contrário, acredito que era um dos mais fervorosos cristãos da época!

A religiosidade por si própria leva o ser humano a criar determinadas regras, como também determinados padrões de santidade para que as pessoas possam ser santas. No Reino de Deus as coisas não funcionam dessa maneira, acerca dos religiosos Jesus foi bem claro ao chamá-los de “hipócritas”, ou seja, “atores, mentirosos”, pregam uma coisa e vivem outra, ou pregam determinada coisa e esquece outra. Não podemos estar à deriva da religiosidade, mas temos de combatê-la no seio da igreja, não adianta julgar A, B, ou C se dentro de nós não passamos de “sepulcros caiados”.

Deus é totalmente contra a religiosidade, em Isaías 1. 11-19, vemos claramente o que Deus tem para os religiosos:

1. Deus não reconhece o sacrifício do religioso (v. 11)

O v. 11 diz da seguinte maneira: “De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o SENHOR? Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; nem me agrado de sangue de bezerros, nem de cordeiros, nem de bodes.”

Para quem vive na religiosidade o que ele mais valoriza são os seus sacrifícios feitos a Deus, as suas oras gastas, as suas orações, os seus jejuns… para quem é religioso, isso é sacrifício. Tudo o que uma pessoa religiosa faz para Deus é um sacrifício, mas em momento algum na Bíblia Deus está atrás de sacrifício, mas sim de adoradores: “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” (João 4. 23)

Deus é bem claro quando se fala em sacrifício: “Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.” (1 Samuel 15. 22) O Senhor procura entre o seu povo pessoas que o obedeçam, que sejam fiéis, justas, mesmo sendo pecadoras, mas que obedeçam e não se conformem com o pecado.

Na verdade, creio que o fato de Deus não ter prazer em pessoas religiosas que valorizam o sacrifício é a seguinte questão, o religioso visa apenas o SEU sacrifício, acha bonito, julga se o dele foi melhor que o outro, etc. O sacrifício da pessoa religiosa é apenas para mostrar-se aos outros não para adorar a Deus verdadeiramente. Uma pessoa que vive em sacrifícios tolos, espera que todos vejam-no, admirem-no, mas na verdade, cristianismo sincero não é isso e sim o fato de fazer crendo que apenas Deus é quem vê e quem recompensa sinceramente, ou seja, tudo no oculto entre o adorador e Deus, porém não funciona dessa maneira para o religioso que gosta de sacrifícios que Deus abomina.

2. Deus não aceita o culto do religioso (v. 12)

No v. 12 a Palavra nos fala acerca do culto das pessoas religiosas: “Quando vindes para comparecer perante mim, quem requereu isto de vossas mãos, que viésseis a pisar os meus átrios?”

O religioso se acha no direito de chegar-se a Deus na hora em que bem entender. Porém não entende que Deus não aceita esse tipo de pessoa nos cultos a Ele. Afinal, o culto do religioso não passa de liturgia, não contém nada espontâneo e nem deixa o Espírito de Deus agir por causa de sua medíocre liturgia. Pessoas desse tipo se acham no direito de julgar o agir de Deus, como também acham-se detentoras do verdadeiro culto ao Senhor.

Outra coisa no culto que está aliado ao religioso é o “domínio”. Apenas ele acha que sabe a maneira certa de ser o culto, na verdade, há religioso pra tudo quanto é denominação: para as tradicionais, ele aceita que o culto seja apenas tranquilo e silencioso, se assim não for, o culto não foi bom; para os pentecostais, ele aceita que o culto seja cheio de línguas senão o culto foi frio e Deus não esteve presenta; para os neo-pentecostais o culto tem de ter algo espontâneo, senão ele acha que não foi bom. Enfim, o religioso acha-se na autoridade de ser detentor do culto e quer ter o domínio total de toda a liturgia.


Mas o Senhor, somente Ele é dono e tem todo o domínio. Outra coisa é que a direção do culto não pertence a nós, muito menos temos autoridade alguma para ter domínio, por isso o Senhor é contra, levanta-se em resistência ao culto dos religiosos. O culto é dirigido pelo Espírito, por isso nenhum de nós tem o domínio sobre ele, “não extingais o Espírito.” (1 Tessalonicenses 5. 19)

3. Ele não tem prazer na oferta religiosa (v. 13)

O v. 13 nos diz: “Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembléias; não posso suportar iniqüidade, nem mesmo a reunião solene.” Aqueles que estão presos na religiosidade tem prazer em mostrar que sua oferta é “gorda”, mas não é esse tipo de oferta que o Senhor na verdade deseja de cada um de nós.

O religioso são como àqueles que estavam ofertando no templo (Lucas 21. 1-3), acham que sua oferta que é muitíssima será aceita e observada por Deus, porém não é esse tipo de oferta que Ele deseja. O Senhor aceita a oferta do crente fiel, do adorador obediente, que dá com amor, carinho. A oferta, o dízimo é obrigação de todo cristão, porém o religioso acha-se detentor da maior, mais bela oferta ao Senhor e que isto será digno de honra perante o Senhor. Esquece-se que o Senhor fala: “Não continueis a trazer ofertas vãs”, ou seja, essa oferta não passa de coisa de tolo perante Deus.

A verdadeira oferta ao Senhor é àquela que honra-No, “Honra ao SENHOR com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos;” (Provérbios 3. 9), a oferta agradável ao Senhor é aquela que está repleta de felicidade, “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.” (2 Coríntios 7. 9). O verdadeiro adorador dá ao Senhor naturalmente com todas as características duma verdadeira oferta, enquanto o religioso não sabe desfrutar dessa maneira de adorar ao Senhor com os bens.

4. Deus se desvia daqueles que vivem na religiosidade (v. 15)

No v. 15 diz: “Por isso, quando estendeis as vossas mãos, escondo de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei, porque as vossas mãos estão cheias de sangue.” A verdadeira questão que Deus foge dos religiosos é que suas mãos estão repletas de sangue, ou seja, repletas de pecado, de iniquidade.

O religioso conhece um pouco do poder de Deus pela misericórdia d’Ele, afinal, o religioso sabe o que é milagre, senão fosse assim a Palavra não nos diria: “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.” (Mateus 7. 22, 23) O que na verdade Deus requer de cada um de nós é uma vida santa, mas isso não é uma realidade na vida do religioso simplesmente porque a santidade dele é estética, ou seja, apenas aparência.

Os que estão presos na religiosidade vivem apenas de aparência, perante os homens eles são irrepreensíveis, porém diante de Deus não passam de “sepulcros caiados”. O coração da religiosidade é podre, os pensamentos são maus e as decisões egoístas, tudo o que foge do verdadeiro padrão de santificação, que é “purificando os seus corações pela fé.” (Atos 15. 9b).

Para todas as coisas há mudança, vejamos o quê o próprio texto mostra como solução para pessoas que vivem no pecado da religiosidade:

1. Arranque a maldade do coração e comece a se purificar (v. 16)

O v. 16 nos diz: “Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal.” Se alguém está no pecado da religiosidade é necessário que primeiro purifique-se de toda a maldade que há no coração, deixando que Cristo venha e limpe de todo o mal que há dentro de si, fazendo assim o corpo ser templo do Espírito.

Na verdade a purificação de toda a maldade é algo que apenas consegue-se através da fé (Atos 15. 9), somente a fé no Senhor faz que Ele mova-se em favor de quem realmente deseja uma limpeza profunda na alma. O Senhor está disposto a limpar o coração de todo aquele que deseja viver uma vida santa perante o Senhor.

2. Conheça o verdadeiro arrependimento (v. 17)

O v. 17 nos fala: “Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas.” O verdadeiro arrependimento é o que Deus exige de cada um de nós. A Igreja em Éfeso estava precisando se arrepender e voltar ao primeiro amor, a principal palavra que Jesus disse a esses religiosos foi a seguinte, “arrepende-te” (Apocalipse 3. 3). O arrependimento é indispensável a todo aquele que deseja conhecer o Senhor.

O arrependimento é uma mudança completa de padrão aonde o indivíduo nunca mais prosseguirá pelo caminho do qual se arrependeu, e é isso o que o Senhor espera de quem deseja deixar de vez a religiosidade, o verdadeiro arrependimento.

3. Desfrute do perdão redentor de Deus (v. 18)

O v. 18 nos ensina: “Vinde então, e argüi-me, diz o SENHOR: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” O princípio do perdão de Deus está no fato d’Ele nos perdoar sem mesmo merecermos.

Não importa o quão religioso alguém tenha sido, o Senhor está pronto para perdoar, “mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.” (Provérbios 28. 13b), “a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.” (Salmo 51. 17b). Disposto a limpar o que o religioso tem transgredido contra Ele, o perdão do Senhor é puro, íntegro. Deus promete algo tremendo sobre o pecado confessado e arrependido que é lançar o pecado no mar do esquecimento.

4. Obedeça fielmente e desfrute do melhor de Deus (v. 19)

O v. 19 diz: “Se quiserdes, e obedecerdes, comereis o bem desta terra.” A obediência traz o melhor de Deus para cada um de nós. A riqueza que a obediência dá ao crente é desfrutar de todas as bênçãos espirituais de Deus para a vida, como também contemplar cada promessa de Deus, vendo elas tornando-se realidade constantemente. Apenas os que vivem em obediência é que conhecem o melhor de Deus. Por isso, vale a pena obedecer e ser fiel até o fim.

Conclusão

Os perigos da religiosidade são:

  • Deus não reconhece o sacrifício de quem vive na religiosidade;
  • Ele não aceita o culto do religioso;
  • Ele não tem prazer na oferta de tal pessoa;
  • Ele se desvia de quem vive no pecado da religiosidade;

A maneira de uma pessoa deixar de ser religioso é a seguinte:

  • Arrancando a maldade e purificando o coração;
  • Conhecer o verdadeiro arrependimento;
  • Desfrutar do perdão de Deus;
  • Obedecer fielmente e desfrutar do melhor de Deus.
11 Responses
  1. Anônimo Says:

    Não sei como vc conseguiu distorcer totalmente a palavra de Deus?


  2. Anônimo Says:

    Esse mal da religiosidade está enganando o povo que Deus escolheu para si. Deus requer atitudes diárias de intimidade com ele, Ele requer relacionamento, como havia entre Ele e Adão. O Senhor nos criou com liberdade de escolha, justamente para adorá-lo com entendimento e vontade, não como os robôs religiosos. Esse é um sutil engano de satanás e está infelizmente alastrando nas igrejas. Gostei do que escreveu, concordo com você. Isso não é distorção como o amigo escreveu, é a plena verdade. É só lê a Bíblia.


  3. Olá amigos, graça e paz. Olha, se o amigo ai em cima acha que é distorção, bem... às vezes nossos pensamentos se tornam distorcidos e aquilo que vemos, que muitas vezes vai contra a nossa visão, achamos que é distorcido, mas quem realmente está distorcido somos nós. Então, o amigo de cima, precisa refletir teologicamente sobre si mesmo. Enquanto o amigo que escreveu em 2 de março de 2011, concordo contigo plenamente. Satanás está enganando muito o povo de Deus e quer entrar sutilmente para destruir a Igreja, porém, ele nunca vai destruir, afinal "as portas do inferno não prevalecerão contra a minha igreja".


  4. Gerson Says:

    Jesus nos diz "E conhecereis a verdade e a verdade vós libertará". Jesus exortou tanto sobre a religiosidade e nos dias de hoje está da mesma forma. Paulo também lutou contra religiosos e se estivesse no seu ministério hoje ele seria perseguido e morto pelos supostos Cristões que vemos por ai.
    Parabéns pelo texto, fico feliz que existem pessoas que busca o conhecimento da Palavra "2Tm 2.15 "Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem de se envergonhar, e que conhece bem a Palavra da Verdade"
    Graça e Paz
    Gerson


  5. é verdade más tristemente muitas pessoas vivem uma vida aparentemente correta ;falam que andam no espirito ;e ate falam coisas absurdas ex -se eu orar DEUS te amaldiçoará pelos teus pecados; claro q isso n~e verdade pois vivemos na graça e misericórdia de DEUS ;NA QUAL TEMOS A CERTEZA DA VITÓRIA EM JESUS NOSSO SENHOR E SALVADOR ; VERDADE E Q TEMOS Q ORAR PELOS NOSSOS OPRESSORES A RELIGIOSIDADE É UM PERIGO FATAL NA VIDA DO CRENTE /SERVO DE deus/ q DEUS os abençoe e nos use a cada dia na sua obra amém.


  6. Anônimo Says:

    infelizmente nao consigo acreditar..
    gostaria muito de saber como e sua vida? vc e feliz?
    oq vc leva de bom e de ruim nisso tudo que falou me responda porfavor.


  7. Anônimo Says:

    Jessé
    16 de agosto de 2012 16:21
    ..................................................................
    Concordo plenamente com tudo q foi dito neste texto q acabei de ler, concordo pq sou um religioso, e ao ler, o Espírito Santo testifica em meu coração q preciso mudar...
    Parabéns ao autor do texto, verdadeiramente Deus é bom e infinitamente maravilhoso, o Espírito Santo é quem convence o homem do pecado, vc apenas foi boca de Deus, foi conduzido pelo Espírito Santo, e lebre-se sempre q A PALAVRA DE DEUS NÃO VOLTA VAZIA, Glória a Deus para todo o sempre, amém.


  8. Anônimo Says:

    À você anônimo do dia 06/de julho,que diz infelizente não consegue acreditar no texto que foi citado, só ti falo uma coisa amigo, muitas vezes nós ficamos em dúvida mesmo, mais quando agente descobre as verdades bíblicas,tudo fica esclarecido;o texto citado diz; canhecerei a verdade e verdade vos libertara.meu querido;satanás tenta nos eganar de todas as forma , ele não brina de ser satanás ele é próprio.leia a biblía que vc/ vai conhecer a verdade.


  9. Anônimo Says:

    Tudo e verdade os religiosos mataram cristo e agora estao querendo matar os cristaos. E pq os religiosos se acham a quarta pessoa da trindade ipocritas um dia vao ouvir apartaivos de mim vos que praticais a iniquidade. Tem pessoas como esse rapaz que n concordou que precisamos orar por eles.
    Pois estao sendo enganados mais sabe pq? Pq o povo de Deus se perde por falta de conhecimento. Paz a todos


  10. Anônimo Says:

    concordo plenamente com esse texto que foi baseado na biblia
    e so não ve quem nao que
    quem esta perdidamente na religiosidade
    a palavra de DEUS se renova todo dia, porisso nao vamos nos apegar a costumes de homens amem queridos
    a paz de cristo a todos .


  11. Marcos Says:

    Marcos
    Jesus disse que há dois caminhos, um é largo e o outro é estreito, infelizmente estes que acusam igrejas que procuram se isolar das coisas deste mundo imundo, são chamados de religiosos. Oxalá soubessem o verdadeiro significado de ser religioso.
    Meditem por favor acerca dos dois caminhos.
    "Entrai pela porta estreita porta grande e larga é a estrada que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. Estreito é a porta e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos encontram." (Mateus 7, 13.14)